Confira a restauração completa desse Fusca 1967 feita pela Volkswagen!

A Volkswagen divulgou uma linda história sobre a restauração de um Fusca 1967, que já rodou 560 mil quilômetros.

Batizado de “Annie” por sua proprietária, o veículo está há 51 anos e sempre pertenceu à Kathleen Brooks, que o usou diariamente para seu transporte pessoal.

A restauração do veículo demorou cerca de  11 meses e foi realizada pela própria fabrica da Volkswagen.

A história do Fusca de Kathleen pareceu muito especial e por isso foi escolhido pela fábrica.

Kathleen trabalha com mulheres enfrentando câncer de mama, e ela própria venceu a doença três vezes.

Ela conta que seu carro, além de uma forma de puxar papo com outros fãs do modelo, também foi uma base de apoio de sua doença.

“Ela e eu somos muito parecidas, porque ela é velha, ela é desbotada, ela é amassada e enferrujada, mas ela continua rodando”, disse Kathleen. Ela também conta que sempre cuidou o máximo possível de seu veículo. Apesar disso, seu tempo de existência exigiu a restauração do Fusca.

Siga o Brasil Sintonizado no Instagram e Facebook

Cerca de 60 funcionários da fábrica de Puebla, no México, trabalharam na restauração do Fusca ao longo de 11 meses. Foi necessário substituir quase 40% das peças do carro, e restaurar 357 componentes originais. Até mesmo os adesivos que Kathleen colou nas janelas foram refeitos.

Para reparar a pintura vermelha de Annie, o grupo de funcionários tomou como amostra o tom de dentro do porta-luvas e fez um jateamento abrasivo na carroceria. Alguns componentes foram substituídos por outros de melhor qualidade que os originais.

Assim, a restauração do Fusca contou com discos de freio oriundos dos mais recentes Beetle produzidos em Puebla, e um sistema de som AM/FM/Bluetooth que reproduz a aparência dos rádios originais do modelo.

A restauração do Fusca de Kathleen foi mais do que a reconstrução de um carro de 51 anos – foi o reconhecimento da ligação entre o veículo e sua dona.

Também foi feita a completa substituição da fiação, remontagem da transmissão e otimização do sistema de suspensão. O motor foi totalmente desmontado, limpo, modernizado e remontado. Já os bancos receberam costuras com os nomes de “Kathleen” e “Annie”.

De acordo com o gerente do projeto, o engenheiro de mecatrônica Augusto Zamudio, o objetivo não foi fazer um carro de museu. A restauração do Fusca buscou deixá-lo em bom estado para que Kathleen pudesse continuar usando-o em seu dia a dia.

“Quando Annie chegou, nossa equipe logo viu a ligação que Kathleen tinha com seu carro e abraçou esse projeto”, disse o CEO da Volkswagen do México, Steffen Reiche.

Fonte: Aquela Máquina

Confira as fotos na galeria abaixo:

 

Foto/Reprodução

1  / 37

Redes sociais:

Comentários