fbpx

Conheça o Mercedes-AMG GT R Pro de R$ 1,7 milhão e o que mais virá ao país


Com 585 cv de potência, o superesportivo já vendeu todas as unidades, mas há novidades já confirmada para nosso mercado em 2019

Por Péricles Malheiros

access_time

22 jul 2019, 19h17

Antes mesmo de ter preço oficial, as cinco unidades disponíveis já tinham donos

Antes mesmo de ter preço oficial, as cinco unidades disponíveis já tinham donos (Divulgação/Mercedes-Benz)

Ao anunciar o preço exato do AMG GT R Pro na semana passada (R$ 1.699.000), a Mercedes-Benz avisou também que todo o lote destinado ao Brasil já havia sido vendido.

Vá lá que apenas cinco unidades foram direcionadas para os brasileiros, mas arranjar uma garagem para todos eles antes mesmo que o preço oficial fosse anunciado é uma tarefa e tanto.

 (Divulgação/Mercedes-Benz)

Segundo uma fonte ligada à marca, a fábrica participa ativamente na negociação de carros ultraespeciais como é o AMG GT R Pro.

“Há uma triangulação no processo de venda desses carros, entre concessionária, cliente e a fábrica. O ponto comum mais recorrente é a exigência de confidencialidade. Em alguns casos, é um agente que toca os contatos e, quase sempre, nem sequer o nome da cidade de residência do comprador pode ser revelado pela marca”, diz.

 (Divulgação/Mercedes-Benz)

Os números são de carro de corrida. V8 biturbo 4.0 de 585 cv capaz de projetar o canhão alemão de 0 a 100 km/h em 3,6 segundos. Velocidade máxima? De acordo com a fábrica, colossais 318 km/h.

Mas, se você chegou atrasado para garantir seu AMG GT R Pro, tudo bem. A marca da estrela tem um generoso pacote de novidades para os próximos meses.

 (Divulgação/Mercedes-Benz)

A entrega de emoção está longe de ser a mesma do supercarro, mas o preço é uma pechincha — guardadas as proporções, claro. Confira o que vem por aí.

C 300 Cabriolet

Nova versão da estilosa versão conversível será mostrada ainda em julho

Nova versão da estilosa versão conversível será mostrada ainda em julho (divulgação/Mercedes-Benz)

Estamos às vésperas do início das vendas do C 300 em duas carrocerias, Coupé e Cabriolet. O motor de ambos é o mesmo: um quatro-cilindros 2.0 turbo de 245 cv de potência e 37,7 mkgf de torque.

O câmbio também é compartilhado: uma caixa automática convencional, com conversor de torque e nove marchas.

CLA

CLA 250: para se distanciar do A sedã, ele está maior no comprimento e no entre-eixos

CLA 250: para se distanciar do A sedã, ele está maior no comprimento e no entre-eixos (Divulgação/Mercedes-Benz)

Não se engane. Ao contrário do que o nome leva a crer, o CLA não é uma versão três-volumes dos hatches da Classe A. Como misto de sedã e cupê, a família CLA está um nível acima do Classe A sedã.

Para se distanciar deste, aliás, o CLS está 48 milímetros mais longo que a geração anterior – comprimento total de 4,69 metros.

AMG A 35

Primeiro vem a versão mais mansa, preparando terreno para a chegada da A 45 S

Primeiro vem a versão mais mansa, preparando terreno para a chegada da A 45 S (Divulgação/Mercedes-Benz)

AMG A 35. Audi S3 e BMW M140i estão prestes a receber o rival da Mercedes. Mostrado pela primeira vez no Mercedes-Benz Night, evento-balada organizado anualmente pela marca, no início desse ano, o A 35 será uma espécie de abre-alas para o A 45 – calma, você vai saber mais sobre ele adiante.

GLE

GLE: de acordo com a marca, uma nova geração do jipão vem aí

GLE: de acordo com a marca, uma nova geração do jipão vem aí (Divulgação/Mercedes-Benz)

Este é o mês mais provável para a chegada da nova geração do jipão montado sobre a plataforma do Classe E – oficialmente, a Mercedes diz que será entre outubro e dezembro.

Apesar de o nome ser relativamente novo, vale lembrar: o GLE substituiu o ML, modelo que colocou a Mercedes no segmento de SUVs de alto luxo e alto volume.

AMG CLA 45

Hatch (Classe A) e sedã-cupê (CLA) chegam juntos, em março de 2020

Hatch (Classe A) e sedã-cupê (CLA) chegam juntos, em março de 2020 (Divulgação/Mercedes-Benz)

Prepare-se: A dupla A 45 S (hatch) e CLA 45 S (sedã) chegam com força total. Literalmente.

O motor 2.0 turbo de 421 cv chega com o imponente título de quatro-cilindros mais potente do mundo, dentre os carros de produção em série. O câmbio é automático de dupla embreagem e oito marchas.



Source link

Redes sociais:
error

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error

Não deixe de nos seguir nas redes sociais!